Review - Spring Breakers (Garotas Perigosas)

A começar pelo título, eu já entendo perfeitamente porque a bilheteria desse filme no Brasil não foi lá essas coisas.
Harmony Korine deixou as intenções dele bem confusas nesse filme... Hora o filme vira uma completa crítica ao comportamento dos adolescentes durante as férias de primavera na Flórida, hora ele dá uma ênfase tão grande no "viver a vida ao máximo", que o filme parece um verdadeiro incentivo a tudo o que o filme retrata.

Mas o que o filme retrata, afinal?



Na minha opinião, Spring Breakers teve um alvoroço enorme pré-lançamento e pós-lançamento do trailer por um motivo: Atrizes da Disney que costumavam atuar em papéis adolescentes politicamente corretos, agora em meio a peitos, assaltos, drogas, sexo e cadeia na flórida. Não necessariamente nessa ordem.
Os primeiros minutos de filme se resumem a uma coisa: Peitos. O tempo todo, em todo quadro, em toda cena. Várias adolescentes de topless na praia, ponto. Sem história. Aí é onde você deve estar pensando "Mas não há problema algum com peitos" (até porque o filme é +18), mas como eu disse, não tem história, não tem como desenvolver nada a partir dessas cenas, o que torna o roteiro ruim.

É aí que vem um corte péssimo que foca as protagonistas do filme.
Faith (Selena Gomez), Candy (Vanessa Hudgens), Brit (Ashley Benson) e Cotty (Rachel Korine) são universitárias e melhores amigas de infância que querem viajar nas férias e, para isso, precisam de dinheiro. Depois de passar o ano todo economizando, elas não conseguem juntar dinheiro suficiente e resolvem assaltar um restaurante para bancar a viagem. Faith não participa do assalto, até porque ela é a mais "certinha" das quatro, frequenta a igreja, sonha alto e tudo mais.

A partir daí, o filme vira um caos. As meninas viajam para a Flórida e são presas por estarem em uma festa em uma casa cheia de drogas. É a partir dessa cena que o filme passa a ser constantemente interrompido pelos discursos moralistas de Faith. Seja ela ligando para a avó dizendo que "o lugar ajudou as meninas a encontrarem o verdadeiro 'eu interior' delas" ou ela se lamentando e chorando sempre que algo dava errado.



E é aí que tudo dá ainda mais errado: James Franco como Alien, um gangster. Ele resolve tirar as garotas da prisão e usá-las para cometer crimes. A ideia não é ruim... Mas todo o resto é. James Franco é um péssimo gangster, com um sotaque horrível e extremamente bonzinho.  Bonzinho em um nível estúpido (eu não vou contar o porquê, porque seria um spoiler enorme... Mas assistam o filme e vocês vão entender o que estou falando). Pior ainda é ver ele cantando uma música extremamente melosa da Britney Spears (muito mal, diga-se de passagem), com as meninas e a música se extender para uma cena onde eles vão assaltar, bater e atirar em pessoas.



Korine aparentemente tinha em mente a ideia de um filme indie, mainstream, mas que deu totalmente errado. O roteiro é um lixo, a sonografia é péssima, assim como as atuações (não exatamente as atuações, mas os personagens em si), a cinegrafia... Argumentos ruins, falas ruins, cortes de câmeras ruins e muita polêmica, sexo, drogas e rap misturado com Britney aleatoriamente.

Me arrependo de ter gasto 90 minutos da minha vida com esse filme. A ideia era boa, e poderia ter virado, de fato, um filme muito bom... Mas que acabou tendo uma concretização completamente medíocre e apelativa.

Nota: 3,0

Copyright © 2012, All rights reserved. Under CC 2.5 Brazil License.

Get the Pixels, desenvolvido por Adriana Amaral