Resenha: Jobs

Há alguns meses atrás eu publiquei um post falando um pouco sobre a minha expectativa sobre o filme Jobs. Admito que eu não tinha a menor animação para o filme, e assisti justamente com a intenção de fazer a resenha.

Jobs conta a história de Steve Jobs a partir do momento em que ele acaba de largar a faculdade, na década de 70 e, ainda assim, continua assistindo algumas aulas. Seu amigo, Steve Wozniak, tinha esse projeto que ele trabalhava como um hobby, onde ele estava criando um computador. Claro que Jobs quando ficou sabendo, não deixou de lado e insistiu para Wozniak para seguirem em frente com uma visão mais empreendedora e profissional. Bem, foi aí que a Apple nasceu na garagem da casa de Jobs.



Ok, até aí tudo bem. O problema do filme é que cerca dos 40 primeiros minutos são fatos que acontecem na vida de Jobs, mas contadas de forma totalmente incompleta. Há vácuos gigantes entre um fato e outro, o que deixa o espectador meio confuso. Há inúmeras perguntas sem respostas no roteiro, como quando a namorada de Jobs engravida acidentalmente e é expulsa de casa por Jobs. Em momento algum o fato é citado novamente, e sua filha aparece apenas em cenas que parecem terem sidos jogadas na edição apenas para preencher espaços vazios.

Outra coisa que foi pouco explorada no filme foi a vida de Jobs após ele ser expulso da Apple. A cena onde citam a NeXT não deve ter 1 minuto sequer. Não mostram como ele voltou e salvou a empresa da falência.

O próprio Steve Wozniak citou em uma resenha seu desapontamento com a fidelidade do roteiro aos fatos, e não me surpreendo.



Eu tive medo de, por ser um filme sobre o Jobs,  que o colocassem em um "altar", o elogiassem demasiadamente e esquecessem que, bem, ele era um babaca. Óbvio que há cenas assim, mas também há cenas em que retratam que Jobs tratava os funcionários da Apple mal, explodia com facilidade e tinha um certo "complexo de Deus". Isso, acreditem, fez o filme ganhar alguns pontos comigo... Porém não o suficiente.

Minha opinião final: Não gostei de Jobs. Gostei da produção... A fotografia é boa, Ashton Kutcher ficou idêntico ao Steve, não apenas na aparência, mas também alguns traços comportamentais bem singulares de Jobs, como o jeito de andar, por exemplo. Mas o roteiro/edição não é lá essas coisas. O filme parece ter sido feito às pressas, com inúmeras lacunas mal preenchidas, cortes de cenas ruins e coisas do tipo.


Copyright © 2012, All rights reserved. Under CC 2.5 Brazil License.

Get the Pixels, desenvolvido por Adriana Amaral