Filmes | Resenha Tusk - Kevin Smith (2014)

E voltamos com a programação normal do blog!
Essa semana assisti Tusk, o novo filme do Kevin Smith, esse diretor nerd. Não é o primeiro filme que resenho dele aqui, o primeiro foi Seita Mortal, que pra mim era o filme mais interessante dele... Até eu assistir Tusk.



Não que seja o melhor dele, longe disso, mas certamente é o mais peculiar. Lembro que vi uma notícia quando ele anunciou a produção e pensei "ok, isso com certeza irá gerar um filme cômico". E não, não é um filme cômico, é bem assustador, na verdade.

Sobre a sinopse: Tusk conta a história de Wallace Bryton (Justin Long), um podcaster até que bem conhecido que faz seu programa na Internet com seu amigo Teddy Craft (Haley Joel Osment). O podcast deles retrata algumas histórias bizarras ou engraçadas, então um dia Wallace vai até o Canadá entrevistar um garoto que teve um vídeo viralizado na Internet onde ele aparece perdendo acidentalmente uma de suas pernas com uma katana.



Logo, Wallace vai a procura de alguém para entrevistar no Canadá para que sua viagem não seja perda de tempo. Até que ele encontra uma carta na parede de um banheiro de um bar, onde um velho marinheiro diz que tem várias histórias interessantes da vida em alto mar para contar.

Então ele vai ao encontro desse senhor, Howard Howe (Michael Parks) que supostamente usa cadeira de rodas e cuja casa fica um pouco longe da cidade. Entre histórias do alto mar e souvenirs peculiares, Wallace se deixa levar pelo interesse e acaba não percebendo o quão perigoso Howe é, e que na verdade o que o calmo marinheiro quer é transformá-lo em uma morsa...



A história é bizarra. E aparentemente esse roteiro insano surgiu em um dos podcasts do próprio Kevin Smith, que depois de alimentar a ideia por uma hora no programa, criou uma enquete online para que os fãs o ajudasse a decidir se ele deveria ou não fazer o filme.

A direção do filme é boa. Por ser uma proposta que poucos levariam a sério, o filme compensou em certos pontos. Por exemplo, por conhecer outros trabalhos de Kevin Smith e por ter sido uma das pessoas que não levou a história a sério no início, achei que seria inteiramente cômico, e na verdade foi bem perturbador. Certos quesitos como enquadramento, iluminação e cenário meio que guiaram o filme, em alguns momentos o ápice sendo cômico, drama ou simplesmente assustador.

O filme demora para chegar ao ponto. Confesso que a conversa de Howe com Wallace antes da cena que levaria ao ápice do filme me desanimou um pouco por ser muito longa, mas as demais cenas compensaram. Algumas cenas são bem explícitas, não em quesito sexual ou horror, mas não é todo dia que você espera ver um homem sendo transformado em uma morsa, e você acaba acompanhando a mudança integralmente, tanto física como psicológica dessa "transição" de Wallace.



Tusk ainda conta com mais dois personagens: Guy Lappointe (Johnny Depp), um investigador que há anos está atrás de Howe e Ally Leon (Genesis Rodriguez), namorada de Wallace. No geral as atuações do filme foram incríveis. Michael Parks novamente surpreendeu com um personagem bizarro e marcante, assim como em Red State, e Johnny Depp está simplesmente irreconhecível. Justin Long se doou ao personagem, enquanto, na minha opinião, os personagens de Genesis Rodriguez e Haley Joel Osment são dispensáveis durante grande parte da trama.
As filhas de Kevin Smith e de Johnny Depp também participam em pequenos papeis, mas nada demais.




No geral: Um filme bom, com uma boa dose de loucura. Definitivamente inesperado e peculiar. Apesar do gênero, fica uma sensação cômica no final. Um filme que segue a regra: Tragédia + Tempo = Comédia.
Nota: 7,5/10


Copyright © 2012, All rights reserved. Under CC 2.5 Brazil License.

Get the Pixels, desenvolvido por Adriana Amaral